Gasto com INSS vai "estourar" em 20 anos

Os gastos do governo federal com assistência social "vão explodir" dentro dos próximos 20 anos porque 60% da população ocupada atualmente não contribuem para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). As projeções feitas por especialistas contratados pelo governo indicam que, daqui a 20 anos, o Tesouro Nacional terá de pagar 2,759 milhões de benefícios anuais da Lei Orgânica da Assistência Social (Loas), ante os atuais 1,29 milhão.Por outro lado, os déficits da previdência dos servidores públicos da União (civis e militares, ativos e inativos) e do INSS tendem a permanecer elevados por mais algumas décadas, mas não deverão ultrapassar os índices de hoje: em torno de R$ 21,1 bilhões anuais no regime de previdência do funcionalismo público da União e 1% do Produto Interno Bruto (PIB) no sistema de previdência dos trabalhadores da iniciativa privada.Essa é a conclusão de quatro estudos de avaliação atuarial dos sistemas previdenciário e de assistência social, realizados pelos Ministérios do Planejamento e da Previdência. Por exigência da Lei de Responsabilidade Fiscal, esta é a primeira vez que o Executivo projeta o impacto dos compromissos previdenciários e assistenciais nas contas públicas em um longo espaço de tempo - até 2020 para o INSS e Loas, e até 2075 para os regimes de previdência dos servidores públicos federais. Leia Mais

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.