Gás mata 2 operários em plataforma da Petrobras

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) informou hoje que os encanadores Francisco de Assis Jesus de Almeida, de 50 anos, e Floriano Castorino de Souza Filho, de 33 anos, morreram ontem à tarde, vítimas de um vazamento de gás na plataforma P-37, no Campos de Marlim (Bacia de Campos, RJ), no momento em que faziam manutenção de um tanque de drenagem. Os trabalhadores eram funcionários da Ultratec Engenharia, empresa prestadora de serviços para a Petrobras.A direção da FUP atribui os acidentes à redução de efetivo e à terceirização de atividades essenciais, como a manutenção. "O resultado disso é um grande quadro de acidentes que, desde 1998 já causou a morte de 78 trabalhadores, 63 deles empregados de prestadoras de serviço", revela o comunicado oficial da FUP.Estas duas últimas mortes em unidades da Petrobras ocorreram no mesmo dia em que a direção da FUP esteve reunida com a direção da empresa para tratar de diversas questões relacionadas ao acompanhamento do cumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho.Os principais questionamentos feitos pelos sindicalistas diziam respeito à implementação de um efetivo mínimo de trabalhadores nas unidades da Petrobras e o treinamento dos prestadores de serviço, principalmente os que atuam nas plataformas da Bacia de Campos, onde 46 acidentes ocorreram no ano passado, causando a morte de 8 trabalhadores, 7 deles funcionários de empresas terceirizadas.Uma das mortes ocorreu no último dia do ano, quando o auxiliar de plataforma da empreiteria Queiroz Galvão Perfurações, Erinaldo de Santana, 35 anos, foi jogado ao mar durante um acidente ocorrido durante uma operação de manutenção em um guindaste da plataforma SS-45. Seu corpo até hoje não foi encontrado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.