Garoto que estava em Taiwan será repatriado para o Brasil

Depois de dois anos e oito meses em Taiwan, o garoto brasileiro Iruan Ergui Wu, filho de um chinês com uma brasileira, ambos mortos, ficará sob a guarda da avó materna Rosa Leocádia Ergui, em Canoas, na Grande Porto Alegre. Ele foi levado pelo pai, o marinheiro chinês Teng-Shu Wu, para conhecer os parentes após a morte da mãe. No entanto, o pai morreu e a família coreana também lutava pela guarda da criança. Agora, o Superior Tribunal de Justiça de Taiwan, decidiu, pela terceira vez consecutiva, sem chance de apelação dos tios paternos, que o menino de 7 anos deve voltar ao Brasil. Iruan deve chegar no final de novembro.Em 1998 a mãe de Iruan, Marisa Tavares Ergui, que morava em Porto Alegre, morreu de leucemia. Com isso, o garoto passou a ser cuidado pela avó. Em março de 2001 o pais levou Iruan a Taipei, capital de Taiwan, para apresentá-lo aos parentes. Uma semana depois, Wu morreu e o irmão dele ficou com o sobrinho. A avó brasileira não aceitou a situação e as duas famílias entraram na Justiça de Taiwan requerendo a guarda do menino. "Quando deram a notícia hoje, ainda de madrugada, fiquei muito emocionada. Afinal, depois de tanta luta, a justiça foi restabelecida. Será o melhor Natal da minha vida", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.