Garotinho reafirma que continua candidato

"O PMDB tem candidato à Presidência da República. Aquele resultado não tem valor jurídico nem valor político", afirmou o ex-governador do Rio e pré-candidato a presidente pelo PMDB, Anthony Garotinho, referindo-se ao resultado da convenção do partido do último sábado que decidiu não lançar candidato próprio ao posto. "O que os governistas estão fazendo é se aproveitar da mídia para confundir a opinião pública e divulgar para o País inteiro que o PMDB não tem candidato", salientou em entrevista ao programa Canal Livre, da TV Bandeirantes. Ele também voltou a reclamar das "perseguições" que vem sofrendo dentro do próprio partido. "Nós vamos até a última instância, que é a convenção nacional, para garantir o direito de o PMDB ter o seu candidato."Segurança públicaO ex-governador e ex-secretário de Segurança do Rio de Janeiro aproveitou a série de ataques do PCC em São Paulo para atirar farpas, ao mesmo tempo, contra os dois principais adversários. Ele disse que os últimos governos federais (leia-se PT e PSDB) não deram a importância devida ao tema. "O problema da segurança pública não pode ser tratado da forma amadora como vem sendo tratado pelos governos federais, sucessivamente, no Brasil", disse. Falando como candidato, Garotinho voltou a pedir a construção de presídios federais em larga escala. Ele argumentou que, depois da instalação de um núcleo de inteligência, o sistema penitenciário carioca já pode ser considerado exemplar. "O sistema penitenciário do Rio de Janeiro obteve um avanço significativo, que pode servir de parâmetro para outros Estados", alfinetou.Michel Temer diz que nada está decididoNa mesma linha de Anthony Garotinho, o presidente do PMDB, deputado Michel Temer, afirmou que a decisão da convenção do último sábado não é definitiva e também fez críticas à mídia. "A imprensa hoje (ontem) noticiou que o PMDB decidiu não ter candidato próprio, mas não registrou o fato de a decisão judicial ter suspendido os efeitos dessa convenção de hoje", explicou Temer também durante a entrevista ao Canal Livre. Segundo ele, a decisão só será tomada na convenção marcada para o dia 11 de junho, dependendo ainda de uma decisão definitiva do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, que concedeu a liminar para a realização da convenção de sábado. "Se sair até lá (a decisão do TJ), a convenção de 11 de junho se realiza tendo em vista a solução dessa decisão judicial. Se não sair - e é pouco tempo para uma decisão judicial definitiva -, no dia 11 nós temos finalmente a convenção."Itamar FrancoMichel Temer comentou o encontro do ex-presidente Itamar Franco, outro pré-candidato do PMDB à Presidência, com o ministro Tarso Genro e com o presidente do PT, Ricardo Berzoini, marcado para esta segunda-feira. Ele acha que o ex-presidente não deve abrir mão da própria candidatura. "O presidente Itamar Franco também foi muito claro ao dizer que o PMDB deveria ter candidato próprio. O fato de conversar com A ou com B do governo, como eu já conversei, não significa que ele vai entregar-se ao governo e vai abandonar a tese da candidatura própria", opinou o presidente do PMDB. "Nós esperamos que ele vá até a convenção do dia 11 de junho."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.