Garotinho quer evangélico para suceder FHC

O governador do Rio, Anthony Garotinho, defendeu a eleição de um candidato evangélico para suceder o presidente Fernando Henrique Cardoso. Num discurso para 1.000 convidados, durante almoço que foi servido num clube de Brasília, Garotinho afirmou que "o Brasil precisa de um presidente com valores cristãos." O governador fluminense assegurou que é candidato ao Palácio do Planalto e não vê problemas no fato de o País vir a ser governado por um político não católico."Não é estranho um País de maioria cristã seja governado por um presidente confessadamente ateu?", indagou Garotinho ao responder a pergunta de uma jornalista sobre o fato de ser evangélico. Ele acredita que as eleições do próximo ano serão marcadas pela disputa religiosa. Garotinho frisou que a Constituição Federal assegura o direito de ser candidato. "Não será uma eleição fácil", disse. "Vou sofrer muitos ataques. Embora neguem, há preconceitos contra os evangélicos no Brasil."ComícioA ida do governador Garotinho a Brasília é parte da estratégia do candidato para fechar acordos locais. No início da tarde, no clube Cota Mil, o governador reuniu centenas de simpatizantes ligados às igrejas evangélicas. Ele tem o apoio do vice-governador do Distrito Federal, Benedito Domingos, líder da Assembléia de Deus. No início da noite, Garotinho e Benedito estiveram na cidade satélite de Taguatinga, onde comandaram um comício regado a música gospel. Um público de 3000 pessoas, segundo estimativa da Polícia Militar do Distrito Federal, ocupou o estacionamento do Estádio Elmo Cerejo de Farias, o "Cerejão".Entre uma música e outra, Garotinho "pregava" o apoio às eleições que vão escolher o sucessor de Fernando Henrique. Ele assegurou que, mesmo sendo candidato pelo PSB - um partido pequeno - e sem dinheiro para custear a campanha presidencial, terá condições de levar o projeto político adiante. "Se for vontade de Deus, ele levanta", disse, ao explicar que, se Deus quiser que ele seja candidato, conseguirá todos os recursos financeiros e apoio político.Garotinho aproveitou a viagem a Brasília para informar que está mobilizando os parlamentares fluminenses com o objetivo de convencer os ministros do presidente Fernando Henrique a liberarem recursos para o Estado do Rio. "Não acredito que isso esteja acontecendo só porque sou um governador de partido de oposição e candidato à Presidência da República", afirmou.Para o governador, a mobilização da bancada parlamentar foi decidida porque o Estado recebeu apenas 1,15% dos R$ 417 milhões previstos no Orçamento Geral da União para o Estado do Rio. À noite, Garotinho viajou para Uberlândia, município localizado no Triângulo Mineiro, para mais um comício evangélico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.