Garotinho prossegue com greve de fome

O ex-governador do Rio, Anthony Garotinho, prossegue com a greve de fome iniciada no final da tarde de domingo. Um dos pré-candidatos à Presidência pelo PMDB, ele queixa-se de falta de espaço na imprensa para se defender das denúncias que envolvem doações para sua pré-campanha. Garotinho, no entanto, permanece numa sala da sede regional do PMDB, no centro do Rio, onde pode ser observado por uma porta de vidro, mas não aceita conversar com os jornalistas. O ex-governador acordou por volta das 9h30 e recebeu em seguida a visita do senador Sergio Cabral Filho, pré-candidato ao governo do Estado do Rio. Os dois conversaram por cerca de meia hora, e o senador disse ter tentado convencê-lo a encerrar a greve. "Ele respondeu que está convicto de que esse é o caminho", disse o senador, que hesitou dar sua opinião sobre as reivindicações de Garotinho. Cabral disse que a decisão do ex-governador é individual e não cabe julgamentos, mas lembrou que partidos que governam sempre têm de enfrentar questionamentos da imprensa, que deve ter liberdade para trabalhar. A governadora Rosinha Matheus chegou por volta das 10h40 ao diretório regional do PMDB e se reuniu com o marido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.