Garotinho nega declarações sobre intervenção no Rio

O governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, ligou hoje para o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Paulo Costa Leite, para negar declarações publicadas na imprensa de que teria criticado a decisão do Tribunal de aprovar o pedido de intervenção federal no Estado. Segundo a assessoria do STJ, no telefonema a Costa Leite, Garotinho disse que as suas declarações foram mal interpretadas e que jamais afirmara que o julgamento do STJ, que considerou procedente a intervenção no Estado, havia sido uma decisão política porque era candidato a presidência da República.Garotinho agendou com Costa Leite um encontro, em Brasília, na próxima segunda-feira para discutir o assunto. O julgamento do STJ que determinou a intervenção ocorreu na última quarta-feira, quando os juizes da Corte Especial do Tribunal, em decisão unânime, aprovaram pedido o intervenção feito por Waldemar Cardoso de Sá, a quem o Estado do Rio de Janeiro deve um precatório de R$ 1,1 milhão.Waldemar de Sá ficou paraplégico após ter sido vítima de um tiroteio entre policiais e assaltantes que invadiram a agência bancária onde trabalhava. O incidente já ocorreu há 24 anos. Em 1996, o Estado foi condenado pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Mas até agora o governo do Rio de Janeiro não pagou a indenização a Waldemar, que recorreu ao STJ. O presidente Fernando Henrique Cardoso já recebeu ofício de Costa Leite, na sexta-feira, requisitando a decretação da intervenção no Rio de Janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.