Garotinho é candidato (informal) do PSB a presidente

O ato de filiação de 3 deputados estaduais ao Partido Socialista Brasileiro (PSB), na tarde desta quinta-feira, na Assembléia Legislativa, acabou se transformando no lançamento informal da candidatura do governador do Rio, Anthony Garotinho, à Presidência da República em 2002. Cerca de 300 pessoas participaram da solenidade, que durou cerca de 2 horas. Estavam presentes além de Garotinho, o governador de Alagoas, Ronaldo Lessa, a deputada federal e ex-prefeita Luiza Erundina e o prefeito reeleito de São Vicente, Marcio França, além de militantes e outras lideranças do PSB. Em rápidos discursos, tanto Erundina quanto Lessa disseram que o partido está crescendo e se preparando para ter candidato próprio à sucessão de Fernando Henrique Cardoso. O último a discursar, após as filiações dos deputados Pedro Mori, Rafael Silva e Salvador Khuriyeh, todos vindo do PDT, foi o governador Garotinho. Ele também é ex-pedetista e está no PSB há pouco mais de um mês. "O PSB é uma família e vocês, como eu, serão considerados filhos naturais e não adotivos", disse Garotinho, fazendo uma comparação com seus nove filhos, cinco deles adotados. "O que nos une é o desejo de mudar esse País. Ninguém agüenta mais o estado em que ele se encontra."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.