Garotinho diz que recuo do governo pode mantê-lo no PSB

O ex-governador do Rio e atual secretário de Segurança Pública do Estado, Anthony Garotinho, afirmou neste domingo que o recuo do governo federal na proposta original da reforma da Previdência pode esvaziar o seu processo de expulsão do PSB. O diretório nacional do partido, que apóia o governo Lula, decidiu afastá-lo devido às constantes críticas de Garotinho aos projetos de reformas e à política econômica."Se o próprio governo resolve mudar a reforma da Previdência e reconhece que ela estava demais e as minhas críticas ao governo Lula eram em cima das reformas da Previdência e tributária e da continuidade da política neoliberal, o PSB querer me expulsar por isso é querer ser mais realista do que o próprio rei", disse Garotinho, durante a reabertura do Piscinão de Ramos, na zona norte do Rio. No entanto, segundo o secretário-geral do PSB, deputado federal Renato Casagrande (ES), o partido ainda pode expulsar Garotinho. A Executiva Nacional adiou para esta semana o julgamento do recurso de Garotinho pedindo a revisão da expulsão. Há a possibilidade do caso ser encaminhado para a comissão de ética do PSB. Caso isso ocorra, Garotinho vai ganhar mais de um mês de sobrevida no partido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.