Garotinho diz que Receita não pode ser usada com fins eleitoreiros

O governador do Rio, Anthony Garotinho (PSB), divulgou nota no início da noite de hoje em que reafirma que houve uma "articulação política" do governo federal para prejudicá-lo. Ele afirmou ainda que a Receita Federal "não pode ser usada com fins eleitorais, para prejudicar possíveis concorrentes à disputa presidencial". A declaração foi uma resposta ao pronunciamento do porta-voz da Presidência, Georges Lamazière, de que o presidenteFernando Henrique Cardoso vai exigir, por meio da Advocacia Geral da União, que Garotinho esclareça a acusação de que o Planalto estaria por trás de denúncias queenvolvem seu nome com o objetivo de "inviabilizar" o crescimento de sua pré-candidatura à Presidência."Meu sigilo fiscal foi quebrado. Se o governo federal quisesse demonstrar não estar envolvido no vazamento da informação, a primeira providência a ser tomada seria abririnquérito para apurar quem vazou as informações. Como isso não ocorreu até a presente data, estou certo de que é uma articulção política para me prejudicar. A Receita Federal é órgão do governo federal e não pode ser usada politicamente com fins eleitorais, para prejudicar possíveis concorrentes à disputa presidencial." O governador do Rio voltou a afirmar que a documentação dele e de suas empresas está regular junto à Receita Federal, mas disse que possíveis débitos, mesmo prescritos, serão quitados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.