Garotinho diz que houve fraude em votação que derrubou vetos à lei dos royalties

Segundo ele, alguém votou no lugar do seu colega de bancada e de partido, o deputado federal Zoinho

Ricardo Brito, Agência Estado

07 de março de 2013 | 16h57

BRASÍLIA - O líder do PR na Câmara, deputado Anthony Garotinho (RJ), afirmou nesta quinta-feira, 7, que houve "fraude" na votação ocorrida na madrugada que derrubou o veto da presidente Dilma Rousseff à lei dos royalties do petróleo. Segundo ele, alguém votou no lugar do seu colega de bancada e de partido, o deputado federal Zoinho. Ex-governador do Rio, Garotinho é um dos que lideram a tentativa de anular a decisão do Congresso que retira, pelas contas do governo fluminense, mais de R$ 3 bilhões em recursos do Estado.

Garotinho disse que Zoinho havia participado de uma reunião anterior à votação e, diante da iminente derrota, avisou-lhes que iria retornar para Volta Redonda (RJ). Um deputado aliado do líder republicano que participou da contagem dos votos, Paulo Feijó (PR-RJ), percebeu que alguém havia assinado a lista de votação no lugar de Zoinho. Garotinho disse ter sido avisado por Feijó dessa situação e, ao localizar Zoinho por telefone, foi informado que ele não votou na sessão.

"Falsificar a assinatura é crime", acusou Garotinho, que esteve na Secretaria-Geral da Mesa Diretora do Congresso a fim de obter a lista de votação, sem sucesso. O líder do PR afirmou que, assim que pegar a lista, vai registrar um boletim de ocorrência na polícia. O deputado disse que não descarta recorrer à Justiça para questionar esse ponto da votação. Ele lembrou que as bancadas do Rio de Janeiro e do Espírito Santo vão ingressar ainda nesta quinta-feira com um mandado de segurança no Supremo questionando a derrubada do veto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.