Garotinho diz que as contas do PT é que foram rejeitadas

O ex-governador e atual secretário de Segurança Pública do Rio, Anthony Garotinho (PSB), afirmou hoje que sua sucessora, Benedita da Silva (PT), hoje ministra da Assistência e Promoção Social, "pode ter se perdido um pouco na administração" do Estado e que as contas dela é que foram rejeitadas pelo Tribunal de Contas, na última quarta-feira. Em decisão inédita, o Tribunal de Contas do Estado rejeitou por 4 votos a 2 as contas do governo fluminense em 2002 (administrado por Garotinho até abril e por Benedita até 31 de dezembro).Ontem, o PSB publicou anúncio em jornais do Rio com o título A verdade custa, mas aparece, sustentando que "Garotinho foi absolvido e Benedita responsabilizada". O texto insiste que o tribunal "ao apreciar as contas de 2002, aprovou a gestão fiscal do ex-governador relativas aos três primeiros meses de 2002 e responsabilizou a ex-governadora Benedita da Silva pelo não cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal". O texto lembra que Garotinho foi acusado pelo governo petista no Rio de ter deixado um rombo nas contas estaduais."Não quero levantar má fé contra a governadora, mas fui prefeito duas vezes, governador e nunca tive as contas rejeitadas. Minhas contas de 1999, 2000 e 2001 foram aprovados. Minha conta fiscal está aprovada. Quem pode ser responsabilizado é quem ficou mais tempo. Sofri muito tempo calado", disse Garotinho, referindo-se ao ano de 2002, quando deixou o cargo no dia 5 de abril, para concorrer à Presidência da República. "Houve despreparo", disse o ex-governador sobre o governo Benedita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.