Garotinho compara políticos a figuras bíblicas

Em uma sala lotada da Igreja Presbiteriana Novo Mundo, no bairro de Laranjeiras, zona sul do Rio, o governador do Estado e pré-candidato à Presidência pelo PSB, Anthony Garotinho, encerrou a maratona de encontros com evangélicos do final de semana. Por volta das 10h, o governador chegou ao templo e se transformou em professor de religião de cerca de 40 pessoas, como costuma fazer, aos domingos, sempre que a agenda permite. "Hoje vamos discutir a história do povo de Israel e do rei Saul, mas o que queremos mesmo estudar é a importância de fazer escolhas certas", disse o governador na abertura do encontro de casais.A reportagem do Estado acompanhou a aula do governador. Durante cerca de duas horas, Garotinho e sua mulher, Rosinha, discutiram com os alunos histórias da Bíblia. Em vários momentos, Garotinho fez relações diretas entre personagens bíblicos e figuras políticas. Comparou o rei Saul com o ex-presidente do Senado Antonio Carlos Magalhães por ele ter procurado ajuda em mulheres que advinhavam o futuro e arrancou gargalhadas dos casais com a frase de Jesus: "Dê a Cesar o que é de Cesar, e a Deus o que é de Deus", em uma referência clara ao prefeito do Rio, Cesar Maia.O governador também falou sobre o dilema do profeta Samuel, que aconselha o povo a não escolher um rei, mas ele acaba escolhendo Saul. Segundo Garotinho, essa escolha é feita "porque, muitas vezes, o povo só está interessado nas aparências, sem julgar a conduta dos candidatos". "Vejam aqui no Brasil. Nós acabamos escolhendo um príncipe", disse, se referindo ao presidente Fernando Henrique Cardoso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.