Garotinho busca apoio da esquerda francesa

Os candidatos a presidente no Brasil disputam o apoio dos socialistas e social-democratas europeus como se eles pudessem ter uma influência decisiva nas eleições brasileiras. Depois da viagem de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a Paris e da visita do primeiro-secretário do Partido Socialista francês, François Hollande, a Porto Alegre, onde anunciou seu apoio ao PT, agora é a vez do governador do Rio, Anthony Garotinho, candidato do PSB, reivindicar o mesmo a Pierre Mauroy, ex-primeiro-ministro da França e ex-presidente da Internacional Socialista.Em encontro nesta segunda-feira, Garotinho disse a Mauroy que, enquanto o PSB é partido mais antigo da esquerda democrática brasileira, o "PT é mais uma federação, que entre outros inclui comunistas, socialistas, trotskistas e democratas cristãos". "Historicamente, o PSB é partido socialista, e o PT é o trabalhista, o que é uma coisa distinta", comparou.À imprensa, o presidenciável afirmou que a posição oficial do PS francês transmitida a ele por Mauroy é não interferir no processo político brasileiro. Garotinho aproveitou para confirmar o pedido de adesão do PSB à IS, formalizado por meio de uma carta assinada por seu presidente, Miguel Arraes. Mauroy prometeu reforçar esse pedido de adesão.Nesta quarta-feira, Garotinho vai a Portugal encontrar-se com o primeiro-ministro Antonio Guterres, atual presidente da IS. O pedido de ingresso na IS será reforçado na conversa. O PT também pleiteia a entrada na IS. O PDT é o único partido brasileiro a fazer parte da organização.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.