Garimpeiro é morto durante tiroteio em Serra Pelada

Pistoleiros dispararam contra um ônibus que levava trabalhadores na madrugada de sábado

Carlos Mendes,

23 de novembro de 2008 | 18h08

Três homens armados com pistolas 380 abriram fogo contra dois ônibus que levavam garimpeiros para Serra Pelada durante a madrugada de sábado. Na emboscada foi morto com um tiro na cabeça o garimpeiro Manoel Batista de Oliveira, de 72 anos, residente em Imperatriz (MA). Revoltados, cerca de 2 mil garimpeiros que chegaram em vários ônibus em Serra Pelada preparam manifestações de protesto para esta segunda-feira, inclusive com o bloqueio da rodovia Belém-Belém. O enterro de Oliveira foi realizado em Imperatriz. Na terça-feira, o ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, indicou um coronel da reserva do Exército para ser o interventor da Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp). Ele deve tomar posse na segunda-feira, mas enfrenta resistência de um grupo de garimpeiros ligados ao ex-prefeito de Curionópolis e também coronel da reserva do Exército, Sebastião Rodrigues de Moura, o Curi. Um dos aliados de Curi, José Maria, atual presidente interino da Coomigasp, se recusa em deixar o cargo e acusado por entidades de garimpeiros de ter ordenado a emboscada contra os ônibus, no sábado. O clima tenso em Serra Pelada, que recebeu reforço da Polícia Militar no sul do Pará.

Tudo o que sabemos sobre:
GarimpeirosSerra Pelada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.