Garibaldi: relatório sobre varredura não tem 'nada grave'

O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), disse que a Polícia do Senado deve lhe entregar hoje um relatório sobre a varredura nos gabinetes para investigar a existência ou não de grampo telefônico na Casa. Garibaldi disse que não tem detalhes técnicos, mas assegurou que não foi encontrado "nada grave, que possa preocupar". Garibaldi, que participou do almoço com a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, no Palácio do Itamaraty, admitiu que, se ficar comprovada a participação de agentes da Polícia Federal no episódio do grampo telefônico, envolvendo o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, e o senador Demóstenes Torres (DEM-GO), a PF ficará numa "posição delicada". "Até que se prove o contrário, a própria Policia Federal é isenta. Mas não deixa de criar uma situação delicada como eu já disse".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.