Garibaldi: Orçamento será votado após acordo partidário

O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), disse hoje que o Orçamento da União deste ano será votado assim que houver entendimento entre os partidos. "Culpar e responsabilizar os parlamentares (pela não-votação do Orçamento) não vai resolver o problema", disse Garibaldi, em resposta às críticas feitas hoje ao Congresso pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "É muito fácil colocar a culpa nos outros", disse.Pela manhã, no seu programa semanal de rádio "Café com o Presidente", Lula criticou a demora pela votação do Orçamento. "Eu não posso crer que apenas eu queira trabalhar, e eles não. Que apenas eu queira fazer as obras, e eles não. É de interesse de todo mundo. Os deputados e os senadores têm de votar o Orçamento. É uma questão de responsabilidade com o País. Eu tenho certeza de que há disposição e vontade política do Congresso em votar", afirmou.Para Garibaldi, o papel do presidente tem de ser de retomar e defender o entendimento entre os partidos para que não seja preciso que o governo edite medidas provisórias (MPs) para compensar a falta do Orçamento. "Só falta entendimento. ''Eticamente'', o Orçamento está pronto. É um problema político", disse. Para amanhã, está marcada uma reunião entre os líderes partidários para tentar resolver o impasse na votação. Garibaldi disse ainda que a previsão é de que o Orçamento seja votado na quarta-feira pela manhã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.