Garibaldi nega fazer pressão por fim do nepotismo

O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), voltou a afirmar que espera que seus colegas cumpram a súmula do Supremo Tribunal Federal (STF) que impede a contratação de parentes, mas que por enquanto não tomará nenhuma decisão para pressioná-los. "Não vou dar um prazo. Vou apenas esperar o cumprimento da lei por parte dos senadores. Todos são homens que têm biografia, história. Não estou lidando com nenhum menino do grupo escolar", disse. Sobre o caso de senadores cujos funcionários não trabalham, são "fantasmas", Garibaldi disse que isso "merece a maior condenação". "Não é nem pelo fato de ser nepotismo. Já é outra transgressão, outro equívoco", afirmou, ao ser questionado sobre a contratação da neta mais nova do ex-presidente Juscelino Kubitschek, Alejandra Kubitschek Bujones, pela 3ª Secretaria da Casa, e sobre a primeira-dama de Sergipe, Eliane Aquino, contratada pelo gabinete do senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE). Valadares nega que Eliane seja fantasma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.