Garibaldi: mudança em suplência não deve ser 'isolada'

O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RJ), afirmou hoje que mudanças no processo de escolha de suplente de senador devem ser feitas em uma reforma política. "A mudança do procedimento para escolha do suplente tem que ser feita dentro de um contexto maior, na reforma política, e não isoladamente", declarou Garibaldi. Atualmente, os suplentes de senadores não são escolhidos pelo voto dos eleitores e, na maioria das vezes, como no caso de Edison Lobão Filho - que poderá assumir o mandato do pai, senador Edison Lobão (PMDB-MA) -, são parentes do senador eleito. Na hora da votação em candidatos a cargos eletivos majoritários, são oferecidos aos eleitores brasileiros os nomes dos candidatos a senador e a governador, e não aparece na tela da urna eletrônica o nome do(s) candidato(s) a suplente(s). "Daí, vocês vão me perguntar quando é que virá essa reforma. E eu responderei: sozinho, não posso prever. Sou a favor de mudanças, mas dentro de um contexto maior", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.