Garibaldi lerá na 3ª requerimento que cria CPI só no Senado

'Doa a quem doer, se depender de mim, a CPI vai funcionar', diz o presidente da Casa

03 de abril de 2008 | 18h37

O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), assegurou à oposição que na próxima terça-feira, fará a leitura do requerimento que cria uma CPI exclusiva no Senado para investigar o uso indevido de Cartões Corporativos. "Doa a quem doer, custe o que custar, vou ler o requerimento na terça. Se depender de mim, a CPI vai funcionar. Não estou aqui para segurar nenhuma CPI, afirmou Garibaldi, ao fazer um apelo dramático aos líderes do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM), e do DEM, senador José Agripino (RN), para que deixassem a leitura para semana que vem.   Veja Também:     PSDB apresenta recurso para convocar Dilma ao Senado Governo usa 'rolo compressor' e oposição ameaça com nova CPI CPI rejeita pedido para governo divulgar dados sigilosos PSDB quer apurar vazamento de dossiê no governo Gastos com cartões já somam R$ 9 milhões em 2008 CPI pede lista dos titulares que sacaram dinheiro com cartão CPI terá dados que complicam ministros de Lula e FHC Documento do TCU não sustenta versão sobre 'banco de dados' Entenda a crise dos cartões corporativos    "Por que esta queda-de-braço?", perguntou Garibaldi aos líderes, que insistiam na leitura hoje do requerimento. Depois de muita discussão, os líderes oposicionistas aceitaram a proposta de Garibaldi, que marcou para terça-feira a leitura e ainda uma reunião com todos os líderes partidários. Com esta decisão, a base aliada, que não quer uma CPI exclusiva de senadores pois isso criará novas dificuldades para o governo, ganha tempo.

Tudo o que sabemos sobre:
Cartões corporativosCPI dos cartões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.