Garibaldi ganha força como provável sucessor de Renan

O senador Garibaldi Alves (PMDB-RN) desponta como mais provável sucessor de Renan Calheiros (PMDB-AL) na presidência do Senado. Ex-governador do Rio Grande do Norte, hoje em seu segundo mandato como senador, Garibaldi já avisou à bancada que está em campanha. Não houve contestação, até porque não há no partido nenhum nome para enfrentá-lo. Pela tradição, e por possuir a maior bancada, cabe ao PMDB presidir o Senado.Candidato ao cargo tão logo a situação de Renan se deteriorou, o senador José Maranhão (PMDB-PB) foi obrigado a sair da disputa depois de protocolado no Conselho de Ética um pedido de investigação sobre o aumento de seu patrimônio nos últimos quatro anos. Na declaração de renda entregue à Justiça Eleitoral, Maranhão afirma ser dono de um rebanho de 28.290 cabeças de gado, recém-adquirido no Tocantins. A simples suspeita de irregularidade na compra bastou para que desistisse de concorrer ao posto.Outro cotado para o cargo, o ministro das Comunicações, Hélio Costa (PMDB-MG), abandonou o plano diante da reação dos oposicionistas, que não aceitam entregar o comando da Casa a quem mantém estreito relacionamento com o Planalto. Articuladores governistas tentaram impor o nome do senador José Sarney (PMDB-AP), mas a idéia não prosperou. No cargo desde 12 de outubro, o petista Tião Viana (AC) tem conseguido agradar a colegas de todos os partidos. Mas daí a entregar a presidência ao PT há uma grande distância. O próprio Viana tem afirmado que não pretende disputar uma vaga que pertence ao PMDB. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.