Garibaldi diz que Congresso não pode viver só de CPIs

Presidente do Senado se refere à tentativa de criar mais de uma comissão para apurar caso dos cartões

Agência Senado,

08 de fevereiro de 2008 | 13h13

O presidente do Senado, Garibaldi Alves, disse nesta sexta-feira, 8, que o Senado e a Câmara dos Deputados não podem viver só de CPI. Ele foi questionado pelos jornalistas a respeito das assinaturas que estão sendo colhidas nas duas Casas do Congresso para instalação de comissões parlamentares de inquérito destinadas a investigar os gastos do Executivo com cartões corporativos.   Veja também:   Veja a cronologia do escândalo dos cartões    Entenda o que são os cartões corporativos do governo  Jucá promete apresentar 2ª novo requerimento de CPI Congresso não pode viver só de CPIs, diz Garibaldi sobre escândalo dos cartões  Governo de SP gasta R$108 mi com cartão mas não detalha despesa Enquete: o governo deve acabar com os cartões corporativos? OAB quer investigar uso de cartão corporativo nos Estados Governo quer indicar aliados em postos-chave da CPI dos cartões    Garibaldi alertou que o Legislativo tem muito mais atividades a desempenhar do que se dedicar apenas a fazer investigações mediante comissões de inquérito. Entre essas funções, ele mencionou a reforma tributária, que considera essencial para modernizar a atividade econômica do País.   "Se a CPI vai ser realizada ou não, vai depender da decisão daqueles que vão assinar o requerimento de instalação, mas quero fazer essa advertência: a Casa precisa não apenas se dedicar à CPI, ou às CPIs, mas se dedicar também a outras tarefas. Afinal de contas, a CPI corre um risco, o risco de que, se ela não for bem sucedida, comprometerá até a credibilidade da instituição", ressaltou.

Tudo o que sabemos sobre:
Cartões corporativosGaribaldi Alves

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.