Garibaldi diz que apoio de Lula à CSS sensibilizaria base

Na avaliação de Garibaldi, a base aliada ainda não está pronta para a votação da nova CPMF

CIDA FONTES, Agencia Estado

16 de junho de 2008 | 18h22

O presidente do Congresso, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), admitiu nesta segunda-feira, 16, que o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Contribuição Social para a Saúde (CSS) poderá servir para sensibilizar a base aliada no Senado, que está dividida. "Lula não quer se envolver nas negociações, mas se resolverem dar isso de presente a ele, não vai deixar de querer, não", disse. "A entrada do presidente pode sensibilizar sua base", prosseguiu, ao reconhecer que o envolvimento mais direto de Lula ajudaria na aprovação da "nova Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF)". Veja também:Veja quem votou contra e a favor da CSS na Câmara Calcule: quanto a CSS pesa no seu bolso  Entenda o que é a CSS, a nova CPMFEntenda a Emenda 29  Na avaliação de Garibaldi, a base aliada ainda não está pronta para a votação. "Tudo vai depender do acordo dos líderes e do empenho do governo", disse. Ele afirmou acreditar que, até quinta-feira, receba da consultoria da Casa uma saída que não seja a cobrança da alíquota de 0,1% das movimentações financeiras. "É preciso que o estudo tenha o viés do realismo", ressaltou. Segundo Garibaldi, uma das idéias é destinar para a saúde a arrecadação de impostos em produtos supérfluos para não penalizar o contribuinte.

Tudo o que sabemos sobre:
CSSnova CPMF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.