Garibaldi defende recursos de emendas no Orçamento 2009

Senador não descarta a necessidade de parlamentares terem que dar scontribuição para readequar as contas

Agência Brasil

20 de outubro de 2008 | 17h50

O presidente do Senado, Garibaldi Alves  (PMDB-RN), disse nesta segunda-feira, 20, que não acredita na possibilidade de redução de recursos para as emendas dos parlamentares, mesmo se houver eventuais cortes no orçamento da União para 2009. Defensor dessas emendas, o senador não descarta a necessidade de deputados e senadores terem que dar sua contribuição para readequar as contas do governo a uma realidade econômica com a qual não se contava.  O relator-geral do Orçamento, senador Delcídio Amaral (PT-MS), apresentará nesta terça-feiraseu parecer preliminar na Comissão Mista de Orçamento. Na semana passada, ele afirmou que fará alterações na proposta orçamentária, encaminhada pelo Executivo, com base em um novo cenário econômico que se apresenta. Segundo ele, os maiores cortes serão no custeio da máquina pública. Garibaldi Alves Filho, que ainda não tem qualquer informação sobre o assunto, considerou que não será necessário mexer nos recursos das emendas parlamentares. "A emenda dos parlamentares eu as defendo, porque sei que representam as obras necessárias para as comunidades de todo o Brasil", afirmou. O presidente do Senado reconheceu que há distorções nessas emendas e lembrou que isso já foi objeto de uma comissão parlamentar mista de inquérito. Entretanto, ele julgou que os recursos previstos nas emendas são necessários, uma vez que contemplam obras para as populações que elegeram os deputados e senadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.