Garibaldi defende CPI dividida entre governo e oposição

Presidente do Senado diz ainda que ter obtido do líder do PSDB o compromisso de não obstruir votações

Rosa Costa, de O Estado de S. Paulo,

12 de fevereiro de 2008 | 16h23

O presidente do Senado, Garibaldi Alves, defendeu nesta terça-feira, 12, que a relatoria e a presidência da CPI dos cartões corporativos sejam divididas entre parlamentares do governo e da oposição. Garibaldi disse ainda ter obtido do líder do PSDB, senador Arthur Virgilio, o compromisso de não obstruir a pauta de votação do Senado, como a oposição ameaça fazer.   Veja também: Entenda a crise dos cartões corporativos Oposição ameaça obstruir votações por comando da CPIGoverno indica aliados para postos da CPI dos cartões PSDB diz que não vai investigar família de Lula  Após denúncia, governo publica mudanças para cartões Garibaldi disse ter feito este pedido ao líder do governo Romero Jucá, solicitando inclusive que ele submetesse esta idéia ao presidente Lula."Eu disse ao senador Romero Jucá que levasse ao comando político do governo e ao próprio presidente Lula um apelo meu para que tivesse esta divisão equânime, igual", afirmou.  O presidente do Senado disse ainda ter obtido do líder do PSDB, senador Arthur Virgilio, o compromisso de não obstruir a pauta de votação do Senado para forçar o governo a ceder parte do comando da CPI à oposição. "Acredito mesmo que a oposição não vai obstruir aquilo pelo qual vem lutando, que é a pauta ética do Senado", afirmou referindo-se às propostas que o Senado deve votar esta semana.  Entre elas, está a que retirada de cargos da Mesa e do comando das Comissões senadores alvos de processo por quebra de decoro parlamentar e o que moderniza o Código da Casa.

Tudo o que sabemos sobre:
cartões corporativosCPI dos cartões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.