Garibaldi: corte no PAC é 'corte na própria carne'

O presidente do Senado, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), afirmou hoje, em entrevista, que há uma preocupação muito grande no Congresso em relação aos cortes de despesas previstas na proposta de Orçamento. O senador, mostrando preocupação com possíveis cortes no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), disse que este "é um exemplo de como se cortar na própria carne", porque "é a menina dos olhos" do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Ficamos preocupados, pois, se cortar no PAC, a porta estará aberta, e a tesoura estará afiada para se cortar em outros setores vitais", disse Garibaldi. Em seguida, mostrou cautela com as próprias declarações: "Mas é preferível aguardar", disse. "Estamos fazendo conjeturas. Não sabemos se o corte será linear, onde será cortado e se o PAC será mesmo cortado."O senador disse estranhar declarações de representantes do governo, como a do líder governista no Senado, Romero Jucá (PMDB-RO), de que poderia haver cortes no PAC. "Isso é estranho", disse, "porque o presidente Lula era peremptório no sentido de que não seria cortado o PAC. Mas não podemos deixar de acreditar no líder do governo. O melhor é aguardar a proposta do Executivo, para que nós ofereçamos também a nossa proposta, não deixando que a tesoura aja livremente."No entender de Garibaldi, "os cortes não podem ser de cima para baixo, porque há todo um orçamento dos Três Poderes sendo examinado." O senador previu que a oposição vai "colaborar" com o governo e observou: "Primeiro, teremos o problema do Orçamento do Poder Legislativo, mas nossa preocupação não se estende apenas ao Legislativo, vamos ver o que será cortado no Executivo. O Judiciário tem absoluta autonomia para ver as contas."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.