Garibaldi ataca Comissão Mista do Orçamento por 'manobra'

Orçamento aprovado pela comissão prevê R$ 534 milhões em emendas de integrantes do órgão; PSDB protesta

28 de fevereiro de 2008 | 20h41

O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), fez duras críticas à Comissão Mista do Orçamento nesta quinta-feira, 28, por conta de uma manobra que deixou passar na previsão orçamentária deste ano R$ 534 milhões em emendas que, na sua maioria, são de integrantes da comissão. Por causa dessa atitude, os tucanos deixaram a comissão em protesto.  Veja também:      Tucanos deixam Comissão Mista de Orçamento Comissão aprova Orçamento com corte de R$ 12,4 bilhões  "Não podemos ficar à mercê de uma Comissão de Orçamento que compromete o Congresso Nacional, compromete o Senado, a Câmara e compromete todos os parlamentares. Não estou dizendo que todos são responsáveis por isso que está havendo, mas são alguns que insistem em realizar determinadas manobras e comprometem a dignidade do Parlamento justamente numa hora em que estamos querendo restaurar a sua credibilidade perante a opinião pública", afirmou Garibaldi.  A retirada do PSDB da comissão foi anunciada pelo líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), e será seguida pelo líder na Câmara, José Aníbal (SP). Um requerimento apresentado à Mesa Diretora retira da comissão os senadores Sérgio Guerra (PE), Flexa Ribeiro (PA), Cícero Lucena (PB) e Lúcia Vânia (GO).  Na última terça-feira, em pronunciamento no plenário do Senado, o presidente nacional do PSDB, senador Sergio Guerra (PE), denunciou a existência de um pequeno grupo que estaria manipulando a distribuição de verbas no Orçamento e defendeu até mesmo a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar as irregularidades. Sem citar nomes, Guerra afirmou que esse grupo aprova "arbitrariedades e se sobrepõe ao restante da comissão", e concluiu "que deveria ser investigado".  A decisão tomada pelo PSDB é inócua para os trabalhos deste ano, uma vez que a votação do relatório final da proposta orçamentária para 2008 foi concluída hoje (28). Na próxima semana, o relatório do deputado José Pimentel (PT-CE) deve ser votado em sessão do Congresso Nacional.(Cida Fontes, de O Estado de S. Paulo, Agência Brasil e Agência Senado)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.