Garibaldi anuncia para próxima semana sessão sobre grampos

Presidente do Senado rebate críticas da oposição de que não reage com firmeza ao caso: 'é uma injustiça'

Christiane Samarco, de O Estado de S.Paulo

03 de setembro de 2008 | 16h06

O presidente do Senado, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), informou nesta quarta-feira, 3,  à Agência Estado que só na próxima semana deve convocar o Congresso Nacional para debater a questão das gravações ilegais de conversas de autoridades do Judiciário e do Legislativo. Criticado pelo PSDB, PPS e DEM, que avaliam que ele não agiu em relação ao assunto com a firmeza necessária, Garibaldi disse que se dispõe a atender ao pedido da oposição de convocar uma sessão do Congresso para prestar contas de suas ações.   Veja Também: Entenda as acusações de envolvimento da Abin com grampos  PF está empenhada em saber quem grampeou STF, diz Tarso   Ao rebater as críticas, Garibaldi afirmou: "É uma injustiça. Estou fazendo o que posso, com a devida serenidade para não agravar a crise." Ele lembrou que foi ao presidente da República, em companhia de outros senadores, pedir providências, e disse que serão aprovados pelo Senado projetos que tratam do combate à prática de escutas e gravações clandestinas ilegais: "Os projetos, a meu ver, serão aprovados na próxima semana pelos senadores."   Ele mencionou o projeto do senador Jarbas Vasconcellos (PMDB-PE) sobre grampos e uma proposta do senador Demóstenes Torres (DEM-GO) que cria uma ouvidoria para controle externa da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e outros órgãos públicos. A gravação clandestina de uma conversa de Demóstenes com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, foi noticiada pela revista Veja.

Tudo o que sabemos sobre:
Garibaldi AlvesCPI dos GramposAbin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.