Garcia: 'Serra é o exterminador do futuro da política externa'

Assessor da Presidência criticou declarações de tucano sobre o governo da Bolívia

Mônica Ciarelli / RIO, Agência Estado

27 Maio 2010 | 11h48

O assessor especial da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, chamou nesta quinta-feira, 27, o candidato à Presidência José Serra (PSDB) de "exterminador do futuro" da política externa por sua declaração sobre a Bolívia. Na quarta-feira, Serra afirmou que o governo boliviano é cúmplice do tráfico de cocaína da Bolívia para o Brasil.

 

Veja também:

https://politica.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif No RJ, Serra diz que governo da Bolívia é cumplice de traficantes

 

Segundo ele, um aspirante a "primeiro funcionário de governo" deveria ter mais serenidade ao analisar uma situação internacional, que envolva o relacionamento entre países vizinhos. Num ato falho, Garcia chegou a chamar Serra de Presidente.

 

"O presidente Serra está tentando ser o exterminador do futuro da política externa. Já destruiu o Mercosul, quer destruir nosso relacionamento com a Bolívia, e (já chamou)o Mahmoud Ahmadinejad é um Hitler", afirmou. E completou, em tom irônico: "Acho que talvez ele esteja pensando em uma política de corte de despesas e venha a fechar 20 a 30 embaixadas nos países que ele está insultando nesse momento."

 

Garcia comentou que as aspirações de Serra não vão se confirmar e que ele deveria ser mais prudente ao tratar temas relacionados à política externa. "Ele está brigando com tanta gente que não há outro caminho a não ser fechar embaixadas", disse. Garcia participou nesta quinta-feira do III Foro Brasil-União Europeia, no Rio de Janeiro.

Mais conteúdo sobre:
Marco Aurelio Garcia Jose Serra Bolivia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.