Garcia diz que dívidas de campanha estão ´equacionadas´

O presidente interino do PT, Marco Aurélio Garcia, disse nesta quinta-feira que as dívidas do partido e da campanha pela reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva estão "equacionadas", pois o tesoureiro fez um "excelente" trabalho. A declaração de Garcia foi dada em entrevista em Abuja, Nigéria, onde participou da Cúpula África - América do Sul como assessor de assuntos internacionais do Palácio do Planalto. Ele disse que até o final do ano a dívida de R$ 9,8 milhões da campanha será paga. "A dívida do PT é uma outra coisa, está totalmente equacionada. Tem um prazo de pagamento já equacionado", disse. Na prestação de contas apresentada ao TSE, consta uma dívida de R$ 9,876 milhões. O partido recebeu R$ 88,768 milhões de doações, e gastou R$ 103,313 milhões.Garcia avaliou que a dívida do partido, de cerca de R$ 40 milhões, não é "tanto assim". "É uma dívida normal, como a que você tem no cartão de crédito", disse. Ele ainda alfinetou o PSDB, que também tem dívida de campanha. "Aliás, o PSDB está numa situação muito mais complicada."A campanha do candidato tucano derrotado à Presidência, Geraldo Alckmin, ficou com uma dívida de R$ 19,9 milhões. O comitê financeiro nacional informou que gastou R$ 81,9 milhões e arrecadou R$ 62,02 milhões, segundo dados divulgados pelo TSE. A dívida foi assumida pelo PSDB.

Agencia Estado,

30 de novembro de 2006 | 19h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.