Garcia admite que Chinaglia pode não ser indicado

O presidente interino do PT, Marco Aurélio Garcia, disse, nesta segunda-feira, na abertura de um seminário com governadores e deputados estaduais do PT, em Brasília, que o líder do governo na Casa, Arlindo Chinaglia (PT-SP) "é um bom nome, mas não é um nome ´inamovível´" para a presidência da Câmara dos Deputados. Segundo ele, o deputado Chinaglia "está sendo submetido à (avaliação da) coalizão".Garcia também disse que um governo de coalizão como o que está sendo montado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva se faz em torno de idéias, mas também de interesses. "Essa idéia de que temos que diluir, pôr água no nosso programa, não é bem assim. Às vezes é mais fácil acomodar idéias do que interesses", disse.Ele disse ter uma expectativa de crescimento do PIB em 2007 "de 5% para cima". Para o presidente interino do PT, sem um crescimento significativo da economia "não damos sustentabilidade ao regime econômico". Ao chegar para o seminário, o presidente interino do PT deu uma pista de que o governador do Acre, o petista Jorge Viana, ocupará um cargo de relevância no segundo mandato de Lula. Ao apresentar Viana, Garcia brincou: "Ele terá funções que seguramente vão fazê-lo sentir saudade do governo do Acre". Mais tarde, em entrevista, Garcia reiterou: "Você acha que o Jorge Viana vai ficar sem função importante no governo?".Este texto foi alterado às 13h33.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.