Gabrielli acusa DEM de 'politizar' ação da PF

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, disse ontem que o DEM está politizando as investigações da Polícia Federal a respeito de suposto superfaturamento em obras da companhia, apurado na Operação Castelo de Areia. Anteontem, lideranças do partido disseram que vão estudar a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a Petrobras, a quem acusam de fazer caixa 2 para o PT. ?Estão politizando o assunto?, afirmou.

AE, Agencia Estado

01 de abril de 2009 | 08h57

O executivo voltou a negar superfaturamento na Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, suspeita levantada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e citada na Operação Castelo de Areia, da PF. Gabrielli disse que a empresa iniciou diálogo com o tribunal sobre os critérios para a análise de custos de uma obra. ?Não se pode considerar a terraplenagem de uma refinaria como se fosse a de uma estrada. O TCU usa critério do departamento de estradas em suas análises?, disse. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrasoposiçãoCPI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.