Gabeira vai recolher assinaturas para "CPI das Sanguessugas"

O deputado Fernando Gabeira (PV-RJ) anunciou que começará hoje mesmo a recolher assinaturas para a criação da CPI das Sanguessugas. O objetivo da comissão mista (formada por deputados e senadores) será investigar o envolvimento de parlamentares, prefeitos, funcionários do governo federal e empresas da área de saúde em fraudes para compra de ambulâncias, a partir de emendas ao Orçamento aprovadas na Câmara. Gabeira disse discordar do critério da Mesa Diretora, que decidiu investigar, por enquanto, 16 dos 62 deputados suspeitos de envolvimento na fraude. A corregedoria não investigará deputados que tiveram assessores envolvidos."Não aceitamos esta divisão. Quem tem assessor envolvido deve ser investigado também, porque assessor não assina emenda. Quem assina é o deputado", argumentou Gabeira. O pedido da CPI será feito por PV, PPS e PSOL. São necessárias as assinaturas de pelo menos 171 deputados e 27 senadores para a abertura da CPI.EsquemaO escândalo das ambulâncias eclodiu na quinta-feira passada, dia 4, depois que a Polícia Federal lançou a chamada Operação Sanguessuga. Foram presas 48 pessoas, entre elas dois ex-deputados: Bispo Rodrigues, que renunciou no caso do mensalão, e Ronivon Santiago, envolvido no caso da aprovação da emenda da reeleição proposta por Fernando Henrique Cardoso.Assessores parlamentares também foram presos, acusados de integrar um esquema em que emendas parlamentares eram feitas comprometendo o Orçamento da União com a compra de ambulâncias superfaturadas. O esquema envolveria também servidores do governo federal, empresários e prefeitos, além de parlamentares.A PF mandou à Câmara uma lista com 63 nomes de deputados citados nas investigações. Uma segunda lista, com 81 nomes, foi encaminhada depois que a PF tomou um longo depoimento da servidora Maria da Penha Lino, do Ministério da Saúde, em Cuiabá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.