Gabeira é visto como peça-chave em 2010

Qualquer que seja seu caminho agora, o candidato derrotado da Frente Carioca (PV-PSDB-PPS) à Prefeitura do Rio, Fernando Gabeira, será peça-chave para as eleições de 2010 no Estado, avaliam políticos que o apoiaram na disputa de 2008. Uma possível candidatura a governador, a senador e até a vice-presidente na chapa de José Serra (PSDB) à Presidência são algumas alternativas levantadas para o futuro político do parlamentar, que perdeu por apenas 55.225 votos para Eduardo Paes (PMDB).No campo verde-tucano fluminense, ninguém quer desperdiçar o patrimônio político acumulado pelo candidato - 1.640.970 votos, 49,17% dos válidos, e uma invejável exposição à mídia.Entre verdes, tucanos e integrantes do PPS, o chamado de Gabeira às forças que o apoiaram para uma mobilização anti-dengue, anteontem, foi interpretado como sinal de que o parlamentar pretende ser um ator importante na próxima eleição, talvez concorrendo a algo mais que apenas uma reeleição para a Câmara dos Deputados. Antes de admitir oficialmente a derrota, no domingo, Gabeira expôs a idéia a aliados."Conversei com ele por telefone", contou a vereadora Andréa Gouvêa Vieira (PSDB). "Ele disse para continuar o movimento, juntar a sociedade civil, a iniciativa privada, entrar nessa questão da dengue, melhorar o Rio de Janeiro. Então, acho que tem aí, sim, uma caminhada para frente, para 2010."CAETANOPrincipal cabo eleitoral de Gabeira, Caetano Veloso não votou nele no domingo. O cantor e compositor, que mora no Rio, estava em Roma, onde participou do 3º Festival Internacional de Cinema da cidade - o documentário Coração Vagabundo, de Fernando Grostein Andrade, que o retratou durante uma turnê internacional, foi exibido durante uma mostra paralela em homenagem ao cinema brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.