Gabeira critica Lula e fala sobre campanha para tirar Renan

Campanha começa esta semana; o deputado comenta declaração do presidente sobre absolvição do senador

ELIZABETH LOPES, Agencia Estado

17 Setembro 2007 | 13h12

O deputado Fernando Gabeira (PV-RJ) disse nesta segunda-feira, 17, que terá inicio, essa semana, uma campanha na sociedade em prol da saída do senador Renan Calheiros (PMDB-AL). Ele ainda criticou as declarações que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez neste final de semana, na Espanha, de que o País tem instituições sólidas para julgar as pessoas, e, portanto, não acredita que haja impunidade no Brasil. "Imagina se temos instituições sólidas! É sólida uma instituição (Senado federal) que tem de votar em segredo e escondido do povo?", questionou o deputado do PV. Na sua opinião, um Congresso "no chão só favorece as visões ditatoriais". E disse ainda que a vantagem do Parlamento é que ele existe. "Quem confia no Senado, que vota escondido e, quando saem os votos, você vê que absolveu o Renan?". Gabeira disse que a população está cobrando não apenas os senadores, mas também todos os parlamentares que atuam no Congresso. "Somos deputados, mas quando saímos na rua a população cobra, porque nem todos têm essa visão da situação bicameral (Câmera e Senado). Afinal, somos os políticos de Brasília".    "O clima político está péssimo no Brasil porque o Senado decidiu secretamente, escondido, ir contra a vontade popular. Por isso, nos compete iniciar uma campanha na sociedade para derrubar o Renan Calheiros", destacou Gabeira, que participou nesta manhã, na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), de audiência pública sobre as mudanças climáticas.    Durante o evento, Gabeira fez duras críticas à absolvição de Renan. "O Congresso está sufocado e o Senado está dirigido por uma quadrilha. A corrupção tem um peso grande e um alto custo", destacou, reiterando que os interesses do País só serão conduzidos de maneira efetiva "se for reduzido o poder da quadrilha que domina o Congresso Nacional". O parlamentar lamentou, ainda, que 85% da pauta do Congresso é dominada por medidas provisórias do governo. Renan foi absolvido na última quarta-feira passada em sessão secreta do Senado Federal no processo de perda de mandato por quebra de decoro parlamentar. Voto aberto e CPMF Ao falar da campanha para saída de Renan Calheiros, Gabeira citou a reunião que ocorrerá amanhã, às 17 horas, da frente parlamentar em prol da luta pelo voto aberto.  Além disso, Gabeira acredita que há condições de se obter na Justiça a decisão favorável para que a próxima sessão de julgamento de Renan Calheiros (outros processos pendentes) seja aberta. "Também estou desenvolvendo uma campanha popular na internet denominada 'Se Entrega Corisco' para mostrar que Renan deve sair", emendou o deputado. Gabeira falou ainda que é contrário à prorrogação da CPMF. "Eu vou votar contra", adiantou e voltou a criticar a absolvição de Renan: "Não se deve negociar a cabeça de Renan Calheiros pela CPMF. Deve-se votar contra o Renan e contra a CPMF", frisou.

Mais conteúdo sobre:
Caso RenanCPMF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.