Gabas diz que Garibaldi lhe pediu para ficar com ele na Previdência

Em tom descontraído, ele também comentou que já ouviu falar que a parceria entre o novo e o antigo ministro está conhecida como 'Dupla Gagá'

Célia Froufe, da Agência Estado,

03 de janeiro de 2011 | 15h40

BRASÍLIA - O ministro da Previdência, Carlos Eduardo Gabas, que transmite o cargo nesta segunda-feira, 3, ao senador licenciado Garibaldi Alves Filho, deu sua versão sobre o motivo de seu nome ter sido dado como certo à frente da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT), mas ele ter ficado como secretário-executivo da Pasta. "Fui convidado a presidir a ECT e tinha aceitado o convite, mas Garibaldi Alves me fez o pedido de ficar com ele", explicou.

 

Segundo Gabas, ele teria proposto um pacto ao futuro ministro: "se o senhor me enxergar como ex-ministro, poderemos ter problemas, mas se me enxergar como secretário-executivo, tenho convicção de que dará certo".

 

O ministro disse também que o líder do PMDB na Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, também pediu para Gabas "ajudar Garibaldi". "Fizemos um grande trabalho na Previdência, mas há muito a ser feitos nesses próximos quatro anos", resumiu. "Em 2003, a situação estava muito difícil, pois as situações eram muito vexatórias para nossos segurados. Fizemos a promessa de mudar isso", continuou.

 

Em tom descontraído, Gabas comentou que já ouviu falar que a parceria entre o novo e o antigo ministro está conhecida como "Dupla Gagá" (de Garibaldi e Gabas). "Isso não dá", brincou, retirando gargalhadas do público.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.