Fux segue relator e condena Duda e sócia por lavagem

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), acompanhou o voto do relator Joaquim Barbosa e votou, nesta segunda, pela condenação de Duda Mendonça e de Zilmar Fernandes pelo crime de lavagem de dinheiro relativo aos recursos recebidos por meio de 53 depósitos em uma conta mantida no exterior. Fux, que seguiu integralmente a manifestação do relator, livrou a dupla das acusações de lavagem relativas a cinco saques no Banco Rural e de evasão de divisas pela manutenção de recursos no exterior.

RICARDO BRITO, Agência Estado

15 de outubro de 2012 | 19h17

No início do seu voto, Fux lembrou que foi a dupla que exigiu receber os recursos referentes à campanha presidencial de 2002 fora do País. "A abertura da conta no exterior para o recebimento das verbas ocorreu por iniciativa única e exclusivamente de Duda Mendonça e Zilmar Fernandes", afirmou.

O ministro disse que a remessa de valores do exterior é uma prática comum para se lavar dinheiro. O ministro declarou ainda que o uso de operação dólar-cabo também é outra conduta que está atrelada ao crime no País. Pelo dólar-cabo, um doleiro repassa fora do País para uma pessoa ou conta indicada por outra o mesmo valor devido por uma operação cambial.

Fux condenou ainda os réus Marcos Valério, o seu antigo sócio Ramon Hollerbach, a ex-diretora das empresas de publicidade de Valério Simone Vasconcelos e os ex-dirigentes do Rural Kátia Rabello e José Roberto Salgado por evasão de divisas. Os demais réus foram absolvidos por ele.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãojulgamentoFux

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.