Fuvest inicia venda de manuais do vestibular

A Fuvest iniciou hoje a venda de manuais para o vestibular deste ano com uma boa notícia para os candidatos: o exame mais concorrido do País terá 532 vagas a mais do que no ano passado. Além dos 11 novos cursos abertos pela Universidade de São Paulo (USP), a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo oferecerá também enfermagem e fonoaudiologia. "Eram cursos requisitados pelos estudantes", disse o diretor-executivo da Fuvest, Roberto Costa. Apesar de a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) ter deixado este ano de participar da prova, o número total de vagas oferecidas subiu de 7.947 para 8.246, que incluem a Academia de Polícia Militar do Barro Branco.O valor da inscrição aumentou e passa a ser R$ 56. Agências credenciadas do Banespa e do Banco do Brasil já estão vendendo o manual por R$ 7 e recebendo o pagamento da taxa, até o dia 21 de setembro.De acordo com Roberto Costa, um prejuízo de R$ 1 milhão enfrentado pela Fuvest no ano passado contribuiu para o aumento da taxa. "Parte disso foi por causa das isenções concedidas a carentes", disse o diretor financeiro da entidade, Antônio Evaldo Comune. Apesar disso, a Fuvest não pensa em desistir da iniciativa e, para tentar aumentar o orçamento, tem projetos de elaborar um programa de vestibular para vender a outras instituições.Em 2000, foram distribuídos aos cursinhos comunitários 10 mil formulários para isenções da taxa de inscrição. Eles foram responsáveis por definir quais estudantes de baixa renda receberiam os benefícios. Apenas 7 mil isenções foram utilizadas.Este ano, a Coordenadoria de Assistência Social (Coseas) da USP ficará responsável por selecionar os estudantes carentes que não pagarão a taxa de inscrição. Para pleitear uma vaga, os candidatos precisam residir no Estado de São Paulo, ter estudado somente em escola pública e possuir renda per capita na família inferior a R$ 275.As fichas de inscrição estarão disponíveis nos câmpus da capital e do interior até o dia 24. A diretora da Coseas, Marisa Luppi, disse que a experiência deste ano ajudará a conhecer o perfil do candidato carente. "Só assim poderemos pensar em aumentar o número de isenções."Os vestibulandos terão três dias - 15, 22 e 23 de setembro - para entregar as fichas de inscrição nos postos autorizados. Pela primeira vez, a Fuvest terá um posto fora do Estado, em Uberlândia. "Depois de São Paulo, Minas Gerais é o Estado onde há mais candidatos", disse Costa. Os mineiros realizarão o exame na sua própria cidade. Outra inovação é que os estudantes da zona leste poderão inscrever-se e fazer a prova em Itaquera.Segundo o diretor da Fuvest, o programa do vestibular este ano sofreu pequenas mudanças. Ele explica que, em razão das constantes reclamações de que o exame é muito longo e difícil para estudantes de escolas públicas, devem ocorrer modificações mais significativas no ano que vem. As notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) continuarão a ser usadas como parte da primeira fase, caso seja solicitado pelo candidato.A primeira etapa do vestibular este ano será novamente dividida em dois dias. Em 18 de novembro haverá provas de Língua Portuguesa, Física, Química e Inglês. Os exames de Biologia, História, Geografia e Matemática serão realizados no dia 2 de dezembro. A lista de convocados sai em 19 de dezembro e a segunda fase será de 6 a 10 de janeiro. Por causa do racionamento de energia, o exame vai começar mais cedo: às 13 horas. Os locais de venda dos manuais estão no site www.fuvest.br.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.