Futuro de Álvaro Dias no PSDB começa a ser decidido

O futuro do senador Álvaro Dias (PR) dentro do PSDB começa a ser decidido nesta terça-feira. O Conselho de Ética do partido vai reunir-se no final da tarde para votar o relatório de José Abrão, secretário-executivo do Ministro do Desenvolvimento e Reforma Agrária e relator do processo de expulsão de Álvaro do PSDB.O senador esteve reunido durante toda a tarde desta segunda com seus advogados para elaborar uma liminar, com a qual pretende adiar qualquer decisão tomada na reunião desta terça.O processo de expulsão dos senadores Álvaro e Osmar Dias, ambos do Paraná, foi aberto após os dois terem assinado o requerimento de criação da CPI da Corrupção.O pedido foi feito pelo presidente nacional do PSDB, deputado José Aníbal (SP), sob a alegação de que a postura dos senadores estaria em discordância com a orientação do partido, contrário à instalação da CPI.Caso o pedido de expulsão seja aprovado, o processo é encaminhado para o Diretório Nacional, que analisará o caso. Como o diretório é enorme - 205 membros - o estatuto prevê a possibilidade de a Comissão Executiva do PSDB analisar o pedido.O senador Osmar Dias antecipou-se ao processo e pediu desfiliação do partido, mas continua sem legenda.A liminar que o senador Álvaro Dias está preparando com seus advogados visa suspender qualquer decisão sobre o tema até que o mérito da questão venha a ser julgado.Por enquanto, só existe um processo movido pelo PSDB contra o senador, mas este pretende entrar com uma ação contra o partido. Em um discurso recente proferido na tribuna do Senado, Álvaro Dias defendeu que um partido político é uma "fração representativa da cidadania, uma expressão coletiva de luta e não pode ser cenário de ressentimentos e preconceitos".A situação de Álvaro dentro do partido, contudo, não é nada cômoda. A executiva nacional do PSDB acabou destituindo o deputado Luiz Carlos Haully, ligado a Álvaro, da presidência do diretório estadual tucano.Haully, que também é membro do Conselho de Ética do partido, acha que a Executiva Nacional cometeu uma injustiça contra ele. "Não cometemos nenhuma infração e tenho a certeza de que ganharei essa questão na Justiça".O deputado espera que o julgamento do caso Álvaro não seja realizado de forma açodada. "Eu defendo que sejam respeitados os princípios da legalidade e da ampla defesa".O fato de Álvaro Dias estar elaborando uma liminar para adiar o seu julgamento não significa, necessariamente, que ele pretenda continuar no PSDB.O senador está preparando um ato político para o dia 22, onde anunciará se permanece no ninho tucano ou se migra para outra legenda, a fim de disputar o governo do Paraná no ano que vem. O PMDB já se apresentou como uma opção caso o senador paranaense se transforme em um ex-tucano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.