Funk domina passeata no Rio contra redivisão de royalty

Em vez de discurso e argumentação política, o comício realizado neste momento na Cinelândia, no Rio, para protestar contra a emenda Ibsen, que redistribuiu royalties do petróleo, está sendo movido pelo funk. O prefeito do Rio, Eduardo Paes, abriu os trabalhos dizendo que o evento "não é para ser de discursos" e decretou: "libera DJ".

ALEXANDRE RODRIGUES, Agencia Estado

17 de março de 2010 | 18h15

Em seguida, começou a tocar um funk composto especialmente para o evento, cuja letra diz "pré-sal é nosso sim. É do nosso povão. Não adianta olho grande e ambição." Até agora, nenhum político discursou, mas, apesar da chuva intensa, uma multidão se aglomera diante do palco na Cinelândia, onde está montando um palco, ao som de muito funk.

A emenda Ibsen prevê a divisão igualitária dos royalties provenientes da exploração do pré-sal entre Estados e municípios do País, ao invés de privilegiar as localidades produtoras de petróleo, como o Rio de Janeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.