Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Funcionários protestam contra fechamento dos bingos

Cerca de 400 funcionários de casas de bingos do Distrito Federal e do Estado de Goiás fazem manifestação em frente ao Congresso contra a medida provisória do presidente Luiz Inácio Lula da Silva proibindo esses jogos no País. Os manifestantes, na maioria jovens, vestem-se de preto. Uma das faixas que exibem afirma: "José Dirceu, o teu emprego custou o meu", em referência ao ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, cujo ex-assessor Waldomiro Diniz foi filmado pedindo a um bicheiro propina e dinheiro para campanhas eleitorais. O Congresso, em recesso branco até a próxima segunda-feira, está praticamente vazio. Mesmo assim, o presidente da Associação de Gerentes e Funcionários de Bingos do Distrito Federal e de Goiás, José Maria Calvo Nieves, disse que o ato é "válido como uma prévia da grande manifestação" que os bingueiros de todo o País programaram para a quarta-feira, também em frente ao Congresso."Segundo Calvo Nieves, o fechamento dos bingos deixará desempregados 120.000 trabalhadores diretos e mais de 60.000 indiretos. Na Câmara, apenas 25 deputados compareceram ao trabalho, e a sessão prevista para amanhã foi suspensa por falta de quórum. No Senado, menos de cinco senadores estiveram hoje na Casa. PasseataEm Sorocaba, interior de São Paulo, cerca de 200 funcionários dos quatro bingos instalados na cidade fizeram uma passeata contra a decisão do governo. Com faixas e cartazes pedindo os empregos de volta, os manifestantes concentraram-se na frente no Largo do Líder e saíram em marcha pelas ruas do centro. O trânsito ficou congestionado. Viaturas da Polícia Militar e da Guarda Municipal acompanharam os manifestantes. Palavras de ordem criticavam o governo. "Presidente, não temos culpa se tem corrupto no governo", dizia um dos cartazes. Segundo o gerente de um dos estabelecimentos, Jefferson Machado, o setor emprega 350 pessoas na cidade. A estudante Selma Aparecida Barreira disse que será obrigada a abandonar o curso de enfermagem numa faculdade local se o bingo não reabrir. Ela trabalhava há dois anos e meio num dos estabelecimentos fechados. O balconista Pedro Silveira Lamartine havia conseguido o emprego no final do ano passado, depois de ter ficado três anos parado. "Minha vida estava voltando ao normal quando o presidente Lula teve essa má idéia."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.