Funcionários ignoram razão para reter vacas canadenses

Funcionários da Receita Federal do setor de cargas do Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos (SP), não sabem informar porque seis vacas importadas do Canadá foram retidas desde ontem no terminal de importações da Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária (Infraero). "Foi uma decisão da própria administração da Receita", disse um funcionário da Alfândega. Segundo ele, há no aeroporto um "procedimento ordinário" de rotina de desembarque de cargas de animais vivos e a definição para a liberação das cargas depende da documentação apresentada pelo importador sobre a procedência dos animais, além dos relatórios legais enviados pelo exportador, que devem acompanhar o carregamento. "Para a direção ter solicitado o parecer do Ministério da Saúde, houve algum tipo de suspeita ou falta de documentos", justificou. "Mas, particularmente neste caso, não sabemos o que motivou a decisão de retenção dos animais."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.