Funcionários fazem churrasco com Bolsonaro no QG do Exército

Orientação para os participantes foi deixar o celular do lado de fora e não fazer imagens

Lorenna Rodrigues, O Estado de S.Paulo

31 de agosto de 2019 | 22h37

BRASÍLIA - Depois de passar semanas trocando farpas com a imprensa, o presidente Jair Bolsonaro convidou neste sábado, 31, seis jornalistas, operadores de câmeras e motoristas para participar de um almoço no Quartel General do Exército, em Brasília. O churrasco foi organizado por funcionários do gabinete presidencial e era uma confraternização para servidores que cuidam da agenda, do protocolo e de outras burocracias do dia-a-dia de Bolsonaro.

O dia começou cedo para o presidente, que acompanhou a filha Laura em uma aula de equitação no Regimento de Cavalaria da Polícia Militar do Distrito Federal. Ele também montou. De lá, seguiu para o quartel, ainda com a camisa da Festa do Peão de Barretos (BA) e um lenço amarrado no pescoço. 

Churrasco

Cerca de uma hora depois de entrar no local, o presidente pediu para que seus seguranças convidassem os profissionais de imprensa, que o esperavam na porta, para participar do churrasco. A orientação foi deixar o celular do lado de fora e não fazer imagens.

Bolsonaro passou o início do evento em uma mesa com funcionários do gabinete e posou para fotos com crianças e selfies com familiares dos servidores. Comeu ainda o brigadeiro oferecido por uma das funcionárias e depois se levantou para conversar com a imprensa.

O presidente começou a conversa dizendo que iria embora se alguém perguntasse de política. Passou 1h30, no entanto, respondendo a todas as perguntas, sem perder a paciência, como costuma ocorrer em entrevistas que concede na porta dos eventos.

Iniciou falando de futebol e disse que assistirá o jogo Palmeiras x Flamengo deste domingo no hotel, em São Paulo, onde estará, porque há jogos que não pode ir. “Se o Palmeiras perder, vão falar que é minha culpa. Se ganhar, os flamenguistas vão ficar bravos. Não dá”, afirmou. O presidente disse que avalia assistir um jogo do Palmeiras, time pelo qual torce, em Goiás. O jogo entre os dois clubes está marcado para o dia 7.

Bolsonaro interrompeu a conversa algumas vezes para atender a outros presentes, e fez várias brincadeiras – repetindo, inclusive, frases que geraram polêmicas no passado. Em referência à filha de um dos funcionários, disse: “Essa aqui é a fraquejada dele. Disse isso um dia e quase me dei mal”, disse, em meio a risos.

Também em tom de brincadeira, se voltou a um dos motoristas que participavam do almoço e questionou: “Você é ‘paraíba’ de onde?”. Ao ouvir que o alvo da pergunta era do Piauí, ambos riram. Bolsonaro parecia incomodado com o som alto - pediu para que fosse reduzido algumas vezes – do cantor que ao violão entoava clássicos sertanejos e músicas populares.

Ao lembrar que há cerca de um ano foi vítima de uma facada, durante a campanha eleitoral de 2018, se emocionou e chegou a chorar quando se lembrou do momento em que o médico disse que ele teria que ser operado. O presidente disse ainda ter sequelas que o impedem de fazer alguns exercícios físicos, mas afirmou não manter nenhuma dieta específica. “Nem no início eu não fiz isso”.

Além de carnes como picanha e linguiça, também foi servido arroz, vinagrete e farofa. Refrigerantes, água e chope completavam o cardápio, mas o presidente disse ter bebido “só um golinho” e revelou que tem uma cota mensal estrita, de uma lata de cerveja, controlada pela mulher Michele. "A Michele não deixa, mas tenho uma lata escondida pra tomar quando ela sai", brincou.

Também revelou ter engordado quatro quilos desde que assumiu o cargo, em janeiro. Por isso, além da bebida, Michele também o proibiu de comer pão com leite condensado. Cerca de 80 pessoas participavam do evento, que tinha soldados do Exército servindo refrigerantes - o almoço, no entanto, era no esquema self-service. Além de funcionários do gabinete, seguranças e militares também estavam presentes, muitos animados com a presença do presidente.

Bolsonaro deixou o local por volta de 15h, apressado, dizendo estar atrasado para um compromisso. “É com a sogra”, brincou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.