Funcionários do Judiciário em São Paulo mantêm greve

A greve dos funcionários do Poder Judiciário de São Paulo, que entra hoje no seu 58º dia, vai continuar. A decisão foi tomada hoje durante assembléia da categoria, na praça João Mendes, que insiste em reinvindicar reposição salarial de 26,39%. O movimento ganhou força com a decisão do desembargador Nery Júnior, do Tribunal Regional Federal em São Paulo. Acolhendo recurso das entidades dos servidores, Nery suspendeu liminar que ordenava a volta imediata ao trabalho de 60% da categoria. O Tribunal de Justiça alega que somente terá condições de atender a reivindicação dos grevistas se o governo do Estado conceder suplementação de verba. Insiste que tudo o que pode oferecer - o que já foi rejeitado pelos grevistas em assembléia anterior - é a concessão de reajuste de 15% sobre a gratificação judiciária dos servidores. Isso significaria uma reposição média de 10% sobre o total dos vencimentos de cada funcionário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.