Funcionária do INSS é acusada de extorsão

A chefe da unidade do INSS de Cosmópolis, a 140 quilômetros de São Paulo, Maria Regina de Lima, foi afastada hoje de seu cargo após denúncia de extorsão feita por uma contribuinte. A direção regional do INSS, em Campinas, informou que Maria Regina foi exonerada do cargo de chefia e afastada do trabalho, mas permanece como funcionária do órgão até a conclusão das investigações.Na sexta-feira uma contribuinte, cuja identidade é mantida em sigilo, procurou a chefe do INSS para obter informações sobre aposentadoria. Maria Regina pediu R$ 1 mil para acelerar o processo. A cena foi registrada por uma câmera escondida e exibida pela Rede Globo. A funcionária também se recusou a receber um cheque nominal, e disse que preferia o valor em dinheiro. Exigiu, no entanto, que os R$ 1 mil fossem entregues na sua casa ou em um envelope fechado.Maria Regina é funcionária do INSS há 27 anos e, desde 1989, chefiava a unidade de Cosmópolis. A regional de Campinas informou que desconhecia denúncias de extorsão, e que as unidades são regularmente fiscalizadas, mas nem sempre é possível descobrir fraudes. Para facilitar o trabalho de fiscalização, o INSS pede que os contribuintes denunciem casos suspeitos. O telefone para informações e denúncias é 0800-780191.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.