Funai diz que PF foi acionada para investigar morte de jovem

Adolescente de 16 anos morreu em Brasília após sofrer violência sexual; Funai diz que dará apoio

Agência Brasil

27 de junho de 2008 | 13h26

O presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Márcio Meira, lamentou a morte da jovem indía e afirmou nesta sexta-feira, 27, que todas providências para encontrar os culpados estão sendo tomadas junto com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa). Segundo ele, a Funai já acionou a Polícia Federal para investigar o que ocorreu. "Cabe à Funai dar todo o suporte à família da jovem e providenciar o apoio jurídico necessário junto com a Funasa. Estamos trabalhando para apurar o que ocorreu. A Polícia Federal vai proceder com o inquérito para que os culpados sejam punidos".  O secretário executivo do Ministério da Justiça, Luiz Paulo Telles Barreto, também lamentou a morte da jovem indígena, durante uma solenidade do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), no ministério. "Foi muito brutal (o crime). Estamos todos aqui no Ministério da Justiça muito chocados e a Polícia Federal vai ajudar nas investigações". A morte da jovem indígena ocorreu na última quarta-feira, durante uma cirurgia no Hospital Universitário de Brasília (HUB), após duas paradas cardíacas.  A adolescente vivia, desde o dia 28 de maio, na Casa de Apoio à Saúde Indígena (Casai) do Distrito Federal, localizada próximo ao Gama, a cerca de 40 quilômetros de Brasília. A garota tinha lesão neurológica. A xavante era da aldeia São Pedro, no município de Campinápolis (MT), e estava em Brasília para tratamento médico.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.