Funai divulga fotos de tribo isolada no Acre

O registro fotográfico virou notícia internacional ao ser divulgado pela entidade britânica Survival International

Ricardo Brandt e Jamil Chade, GENEBRA, O Estadao de S.Paulo

30 de maio de 2008 | 00h00

A Fundação Nacional do Índio (Funai) divulgou ontem fotos aéreas feitas de membros de uma das quatro etnias de índios que vivem sem nenhum contato com a civilização. O registro virou notícia internacional. Trata-se de uma tribo do Acre, que vive na fronteira com o Peru. Veja a galeria de fotos dos índios no Acre Veja a localização de reservas indígenas no Brasil Participe do blog sobre a região do Javari As fotos, feitas neste mês, foram divulgadas ontem na Europa pela entidade britânica Survival International. Em uma delas, dois indígenas apontam flechas ao avião de onde as fotos estavam sendo tiradas. Outros fugiram para a floresta ao avistar o avião. A tribo foi localizada nas cabeceiras do Igarapé Xinane, próximo ao Rio Envira. O município mais próximo é Jordão.Na Europa, chegaram a informar que a região foi localizada e a missão planejada graças aos mapas eletrônicos da Google Earth. O sertanista José Carlos dos Reis Meirelles Júnior, coordenador da Frente de Proteção Etnoambiental da Funai na região e responsável pela operação, explicou que os registros feitos por satélites, como os sobrevôos e as incursões pela mata fazem parte da rotina do grupo nos levantamentos de referência de povos isolados."Há 20 anos observamos esses índios e já sabíamos da localização deles. Outras fotos já foram tiradas dessa maloca em outros sobrevôos que fizemos. Desta vez, decidimos divulgar o material para provar que existem índios vivendo totalmente isolados e para chamar a atenção para um problema grave que existe, que é a ameaça de invasores pelo lado peruano", explicou Meirelles Júnior.Segundo o sertanista, que há 21 anos vive na região, a presença de madeireiros, plantadores de coca e outros exploradores vindos do Peru ameaça esses povos indígenas.A Funai estima que existam no Acre quatro etnias de isolados, num total de mais de 500 índios. A aldeia fotografada, segundo Meirelles, é uma das maiores. Ele acredita que vivem ali pelo menos 250 pessoas, divididas em seis malocas. As fotos divulgadas são de apenas uma dessas malocas."Avaliamos quantas pessoas formam o grupo não pelo número de casas e sim pelo tamanho do roçado", conta Meirelles, que em 2004 levou uma flechada no rosto desse mesmo grupo de índios.Os isolados do Acre vivem em três reservas indígenas da região (uma em processo de demarcação e duas já demarcadas), que totalizam uma área de 630 mil hectares.O sertanista afirmou que pelo menos duas vezes por ano a Frente de Proteção deveria fazer sobrevôos sobre as terras onde vivem esses isolados para monitoramento. Mas, como os recursos são poucos, havia cinco anos isso não acontecia. "Dessa vez o governo do Acre financiou o sobrevôo", diz Meirelles.Desde a década de 80 a Funai deixou de buscar contato com as tribos isoladas. "Observamos nesses 20 anos de busca por referências que esse grupo dobrou sua população, o que prova que nossa política tem dado certo", afirmou o sertanista.A Funai considera que existem 68 povos indígenas autônomos espalhados na Amazônia Legal (Acre, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia e Roraima) e em Goiás.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.