Fumo causa prejuízo mundial de US$ 200 bi

O tabaco gera um prejuízo para a economia mundial de US$ 200 bilhões por ano. A avaliação é da Associação Médica Britânica, que ontem publicou um novo estudo sobre os efeitos do cigarro para a economia e saúde no mundo. De acordo com a pesquisa, 15% dos gastos feitos pelos planos de saúde são com doenças geradas pelo fumo. Além disso, somente a União Européia (UE) deixa de arrecadar US$ 6 bilhões por ano em taxas diante do contrabando de cigarros. De fato, um a cada três cigarros vendidos no mundo são ilegais e escapam do controle fiscal dos governos. Enquanto a economia sofre com o fumo, a Associação Médica acusa as empresas do setor de tabaco de serem as únicas beneficiadas pelo cigarro. Segundo o estudo, as três principais empresas -, a Philip Morris, a Japan Tobacco e a British American Tobacco, acumulam lucros de US$ 88 bilhões por ano. A pesquisa ainda aponta que os fumantes são hospitalizados com uma frequência bastante superior ao das pessoas que não fumam, o que os faz gastar mais com sua saúde. Além disso, faltam ao trabalho com mais frequência devido a doenças geradas pelo cigarro, dando prejuízos para as empresas onde trabalham. Fumantes podem perder 16 anos da vidaOs resultados do cigarro para a saúde são claros, segundo os médicos britânicos. O fumo é o maior causador de doenças cardíacas. Além disso, estimativas mostram que metade dos fumantes pode perder 16 anos de sua vida por causa das doenças geradas pelo cigarro. Outra consequência do cigarro é a impotência. Fumantes entre 30 e 40 anos têm 50% a mais de chance de se tornarem impotentes que homens que não fumam.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.