''Fui condenado por aquilo que não fiz''

Tucano se diz vítima de ?profundo equívoco de decisão judicial?

Adelson Barbosa dos Santos, O Estadao de S.Paulo

21 de novembro de 2008 | 00h00

O governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB), disse ontem, em João Pessoa, que foi vítima de "um profundo equívoco de decisão judicial".Cunha Lima afirmou que foi condenado por crime que não cometeu, mas que a história "vai reparar tudo isso". "O ano de 2008 ficará na história como o que teve o maior equívoco judicial, porque fui condenado por aquilo que não fiz", declarou o tucano.Segundo ele, "o TSE praticou uma grande incoerência", ao determinar que o vice-governador de Santa Catarina fosse ouvido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) daquele Estado no processo de cassação do governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB) e não ter tomado a mesma decisão em relação ao vice-governador da Paraíba, José Lacerda Neto (DEM).O TSE, com base nos autos, entendeu que Lacerda teve direito de se defender no decorrer do processo do caso Fundação de Ação Comunitária (FAC), que motivou a cassação dele e do governador pelo TRE da Paraíba, em julho de 2007.Os advogados do governador e do vice tentaram adiar o julgamento do processo, alegando que houve cerceamento de defesa dos dois no TRE e no TSE. "Vamos à instância suprema na esperança de que a Constituição seja respeitada em nome do sagrado direito do exercício da defesa. O Supremo Tribunal Federal haverá de observar que houve cerceamento de minha defesa e do vice", declarou Cunha Lima.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.