Frente ruralista espera poucos vetos ao Código Florestal

O presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado Homero Pereira (PSD-MT), diz que confia na "sensibilidade da presidente Dilma Rousseff" em relação aos possíveis vetos no texto do Código Florestal, aprovado no fim de setembro pelo Congresso. Pereira afirma acreditar que a maneira como o tema foi encaminhado, com aprovação por unanimidade na comissão mista que tratou do assunto, pesará na decisão de Dilma.

VENILSON FERREIRA, Agência Estado

16 de outubro de 2012 | 19h54

Ele lembrou que, em relação à primeira versão do Código Florestal, aprovada no fim de 2011, ao editar a medita provisória sobre o tema, a presidente manteve a maior parte da proposta original, apesar da grande pressão ambientalista pelo veto. Pereira disse acreditar que serão poucos os vetos e prefere aguardar para analisar os procedimentos a serem adotados pela bancada ruralista. As organizações não governamentais propõem quatro vetos ao texto. O mais provável é que ocorram mudanças nos parâmetros de cálculos da extensão das matas a serem recuperadas nas margens dos rios e o plantio de árvores frutíferas em vez da vegetação nativa. Outras duas questões apontadas pelas ONGs dizem respeito às nascentes e olhos-d''água perenes.

Agricultura - Em relação à desistência do presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja), Glauber Silveira, de aceitar a indicação para ocupar a Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pereira afirmou que reconhece a preocupação do dirigente, que prefere se manter à frente da entidade neste momento em que o Brasil planta uma safra recorde de soja.

Pereira disse que, nos próximos dias, a bancada de Mato Grosso se reunirá para discutir um novo nome que será indicado ao ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro. Pereira afirmou que o ministro destinou a Secretaria de Política Agrícola para Mato Grosso em reconhecimento à importância do Estado como maior produtor brasileiro de grãos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.